O slackline tem ganhado muito espaço entre as pessoas das mais diversas faixas etárias. Em praças, praias e em vários outros locais, é possível observar a curiosa cena de um grupo de pessoas tentando se equilibrar em uma “corda bamba” que fica a alguns centímetros do chão.

Porém, ao mesmo tempo em que você reconhece essa cena, devem vir à sua mente as seguintes questões: como se equilibrar em uma corda bamba ficou tão popular? De onde veio essa nova prática? E é justamente isso que nós vamos abordar nesse artigo de hoje. Continue lendo!

A história do slackline

A história do slackline tem início em um antigo treinamento que era realizado por alpinistas nos Estados Unidos. Esse treinamento consistia na busca da melhora do equilíbrio (que é essencial para alpinistas e escaladores) em um terreno seguro e controlado.

No início, essa prática era realizada com uma corda “padrão” de escalada. Essa corda era amarrada a uma pequena altura do chão, e os alpinistas tentavam permanecer em pé ou tentavam atravessar essa corda com o maior controle e menor tempo possível – a distância costumava variar bastante.

Com o passar dos anos, a tradicional corda de escalada foi trocada por vários outros materiais. Até que hoje é largamente utilizada a famosa “fita” slackline – essa fita normalmente tem 50mm de largura e um comprimento maior do que 10 metros (ela lembra bastante uma cinta para prender carga que é utilizada em alguns caminhões).

Esse antigo treinamento feito por alpinistas americanos era realizado nos anos 80, em Yosemite, na Califórnia.

Também é relatado na história desse esporte que atletas circenses utilizavam esse mesmo método para melhorar as suas performances acrobáticas – os atletas circenses que praticavam o funambulismo (a “caminhada” na corda bamba) eram os que mais utilizavam esse treino.

De um antigo treinamento para um esporte descontraído

Com a popularização desse antigo treinamento, o slackline começou a se tornar uma prática bastante difundida. Algumas pessoas “radicalizaram” a atividade e adicionaram várias manobras, que vão desde saltos até acrobacias que exigem um equilíbrio e controle corporal muito apurado.

Atualmente existem inúmeros campeonatos espalhados ao redor do mundo. Inclusive, o Brasil foi o país sede do campeonato mundial de slackline em 2015, que aconteceu em Foz do Iguaçu.

Esse evento foi de profunda importância para a popularização e história do slackline.

As várias modalidades de slackline

Assim como praticamente qualquer esporte de renome, o slackline também apresenta várias modalidades. Veja essas modalidades logo abaixo:

  • Trickline: a modalidade mais famosa e mais importante para o esporte. Ela consiste em uma série de acrobacias na fita de slackline. A maioria dos campeonatos (inclusive o campeonato mundial) são feitos nessa modalidade.

  • Waterline: essa modalidade consiste na fita de slackline amarrada acima de um local com água. Vários campeonatos também são feitos nessa modalidade (as mesmas manobras do trickline se encontram aqui).

  • Highline: essa modalidade é a modalidade mais perigosa e é a modalidade que mais remete aos atletas circenses de funambulismo. Nessa modalidade a fita de slackline é posta a alturas extremas e o atleta deve caminhar toda a extensão dessa fita (são utilizados equipamentos de seguranças, porém, exige-se muita experiência do atleta em questão).

  • Longline: semelhante à modalidade anterior, porém, a altura da fita fica em alturas baixas ou medianas. O diferencial é o comprimento da fita que passa dos 30 metros.

  • Yogaline: sendo a modalidade mais “zen” de todas, a yogaline consiste na execução de posturas de yoga sobre a fita de slackline. Essa modalidade exige muita concentração.

Vale ressaltar que o slackline possui uma linha de aprendizado bem longa. Ficar em pé e realizar várias manobras podem levar semanas de treinamento.

Todavia, boa parte do prazer do esporte está justamente no desafio e nas risadas que ele irá te proporcionar. É muito comum cair no início, e certamente, isso faz com que o esporte seja extremamente recompensador.

O slackline é recomendável para pessoas de todas as idades (desde que o local em que a fita estendida seja seguro para quedas). 

Ainda tem dúvidas sobre a história do slackline? Deixe um comentário e participe da conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

If you agree to these terms, please click here.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: